Últimas do blog

Humor – Piadas e Piadinhas

 

Advogado Galanteador
O advogado está na praia quando aparece uma mulher muito bonita:
— Doutor Eduardo, que surpresa! Que faz por aqui?
O advogado, querendo demonstrar que também tem uma veia poética, com ar de galanteador:
— Estou roubando uns raios de sol.
E a mulher, balançando a cabeça.
— Logo vi. Vocês advogados estão sempre trabalhando.

Promoção do Médico Chinês
Um médico chinês não consegue encontrar um emprego em hospitais no Brasil, então ele abre uma clínica e coloca uma placa com os dizeres: “Tenha tratamento por R$ 20. Se não ficar curado, devolvo R$ 100.” Um advogado vê a placa, pensa que é uma grande oportunidade de ganhar R$ 100 e entra na clínica.
Advogado: “Eu perdi o meu sentido do paladar.”
Chinês: “Enfermeira, traga o remédio da caixinha 22 e pingue 3 gotas na boca do paciente.”
Advogado: “Credo, isso é querosene!”
Chinês: “Parabéns, o seu paladar foi restaurado. Me dê R$ 20.”
O advogado irritado volta depois de alguns dias para recuperar o seu dinheiro.
Advogado: “Eu perdi minha memória não me lembro de nada.”.
Chinês: “Enfermeira, traga o remédio da caixinha 22 e pingue 3 gotas na boca do paciente.”
Advogado: “Mas aquilo é o querosene de novo. Você me deu isso da última vez para restaurar o meu paladar.”
Chinês: “Parabéns, você recuperou sua memória. Me dê R$ 20.”
O advogado já fumegante paga o chinês, e volta uma semana mais tarde determinado a ganhar os R$ 100.
Advogado: “Minha visão está muito fraca e eu não consigo ver nada.”
Chinês: “Bem, eu não tenho nenhum remédio para isso, sendo assim tome este R$ 100.”
Advogado: “Mas isso aqui é uma nota de R$ 20!”
Chinês: “Parabéns, sua visão foi restaurada. Me devolva os R$ 20.

Crime do Cabeçudo
Na cidade havia um senhor cujo apelido era Cabeçudo. Nascera com uma cabeça Grande, dessa cuja boina dá pra botar dentro, fácil, fácil, uma dúzia de Laranjas. Mas fora isso, era um cara pacato, bonachão e paciente. Não gostava, é claro, de ser chamado de Cabeçudo, mas desde os tempos do grupo escolar, tinha um chato que não perdoava. Onde quer que o encontrasse, lhe dava um tapa na cabeça e perguntava:
— Tudo bom, Cabeçudo?
O Cabeçudo, já com seus quarenta e poucos anos, e o cara sempre zombando dele.
Um dia, depois do milésimo tapão na sua cabeça, o Cabeçudo meteu a faca no zombeteiro e matou-o na hora.
A família da vítima era Rica; a do Cabeçudo, pobre. Não houve jeito de encontrar um advogado para defendê-lo, pois o crime tinha muitas testemunhas.
Depois de apelarem para advogados de Minas e do Rio, sem sucesso algum, resolveram procurar um tal de “Zé Caneado”, advogado que há muito tempo deixara a profissão, pois, como o próprio apelido indicava, vivia de porre.
Pois não é que o Zé Caneado aceitou o caso? Passou a semana anterior ao julgamento sem botar uma gota de cachaça na boca! Na hora de defender o Cabeçudo, ele começou a sua peroração assim:
— Meritíssimo juiz, honrado promotor, dignos membros do júri.
Quando todo mundo pensou que ele continuaria com os argumentos de defesa, ele repetiu:
— Meritíssimo juiz, honrado promotor, dignos membros do júri.
— Peço ao advogado que, por favor, inicie a defesa. – disse o juiz.
Zé Caneado, porém, fingiu que não ouviu:
— Meritíssimo juiz, honrado promotor, dignos membros do júri.
E o promotor:
— A defesa está tentando ridicularizar esta corte!
O juiz:
— Advirto ao advogado de defesa que se não apresentar imediatamente os seus argumentos…
Foi cortado por Zé Caneado, que repetiu:
— Meritíssimo juiz, honrado promotor, dignos membros do júri.
O juiz não aguentou:
— Seu moleque, bêbado irresponsável, está pensando que a justiça é motivo de zombaria? Ponha-se daqui para fora antes que eu mande prendê-lo.
Foi então que o Zé Caneado disse:
— Senhoras e Senhores jurados, esta corte chegou ao ponto em que eu queria chegar… Vejam que se eu, apenas por repetir algumas vezes que o juiz é meritíssimo, que o promotor é honrado e que os membros do júri são dignos, todos perdem a paciência. Consideram-se ofendidos e me ameaçam de prisão… pensem então na situação deste pobre homem, que durante quarenta anos, todos os dias da sua vida, foi chamado de Cabeçudo!
Cabeçudo foi absolvido, e o Zé voltou a tomar suas cachaças em paz

Falso Advogado
O cara não conseguia sair com nenhuma garota e perguntou para um amigo conquistador como fazer para ser um também.
O amigo respondeu:
— É simples! Diga à garota que você é advogado.
Decidido a testar a dica, o sujeito abordou uma bela garota e a convidou para sair. Após ela dizer “não” ele disse que talvez fosse melhor assim, pois no dia seguinte cedo ele teria que estar no tribunal para defender a causa de um cliente.
Ela disse:
— Oh, você é advogado?
Ele confirmou. Ela imediatamente topou sair com ele e foram para seu apartamento. Quando estavam na cama o cara começou a rir.
Ela, irritada, perguntou qual era a graça, ele respondeu:
— É que eu sou advogado há menos de meia-hora e já estou fodendo alguém!

A Alma do Negócio
A professora entra na sala e se depara, assustada, com a seguinte frase escrita na lousa: “Juquinha tem o Pipi Grandão!”. Imediatamente ela apaga aquilo e começa a aula.
No dia seguinte, chega na sala e encontra de novo a frase escrita em letras muito grandes: “Juquinha tem o Pipi Grandão!”. Pela segunda vez, ela apaga os dizeres, sem fazer nenhum comentário.
No outro dia, a historia se repete, e no outro e no outro e no outro.
Até que um dia ela resolve colocar a prova a veracidade daquela mensagem. Quando toca a campainha avisando que a aula terminou ela pede para todos saírem menos o Juquinha. Tranca a porta, tira a roupa e ataca o garoto.
No dia seguinte ela encontra outra frase na lousa: “A Propaganda é a Alma do Negocio!”.

Cabeça loira 
Uma loira estava preocupada pois achava que seu marido estava tendo um caso. Então vai ate uma loja de armas e compra um revolver.
No dia seguinte ela volta para casa mais cedo e encontra seu marido na cama com uma ruiva espetacular. Ela aponta a arma para a própria cabeça. O marido pula da cama, implora e suplica para que ela não se mate. Aos berros a loira responde:
– Cala a boca, você é o próximo!

Palestra Sobre Matemática
Um matemático estava a caminho de uma conferência, quando o seu motorista comentou:
– Patrão, já ouvi tantas vezes a sua palestra que tenho certeza de que poderia fazê-la no seu lugar.
– Isso é impossível!
– Quer apostar?
E fizeram a aposta! Trocaram de roupa e, quando chegaram no local da conferência, o motorista foi para a tribuna, enquanto o matemático instalou-se na última fila, como se fosse seu motorista.
Depois da palestra, começou a sessão de perguntas, que ele respondeu com precisão.
No final, levantou-se um sujeito que apresentou uma questão dificílima. Com muita calma, ele respondeu:
– Meu jovem, essa pergunta é tão fácil… mas, tão fácil… que vou pedir para o meu motorista responder!

A Mulher Ideal
O professora pergunta para a turma:
– Zequinha?
– Presente professora.
– Quando você crescer que tipo de mulher você procurará?
– Ah professora, eu quero uma que seja advogada, assim quando eu cometer algum delito ela poderá me ajudar.
– Luizinho?
– Presente professora.
– Quando você crescer que tipo de mulher você procurará?
– Ah, eu quero me casar com uma bombeira, assim quando acontecer algum acidente ela poderá me ajudar.
– Joãozinho?
– Estou aqui!
– Quando você crescer que tipo de mulher você procurará?
– Ah professora, eu quero uma mulher Lua.
– Mulher Lua? Ah, entendi, bonita, brilhante…
– Não professora, eu quero que ela venha de noite e vá embora de dia

Pacto de Fidelidade
O português veio para o Brasil deixando na terrinha a sua querida mulher. Anos depois mandou buscá-la. Na noite em que os dois se encontraram, mortos de saudade, começaram a conversar:
– Como é, Maria? Você manteve o pacto de fidelidade que nós fizemos? Quero saber, Maria, porque eu cumpri. Eu fui cem por cento com você, Maria. Imagine, aqui, nesta terra quente, cheia de mulatas tão bonitas, eu fiquei firme. Às vezes, ficava a morrer de desespero. Aí não aguentava. Pegava uma mulata, levava pra casa. Ah, Maria, quantas vezes isso aconteceu… Aí, na hora agá, eu me lembrava de ti, e saia de cima. E tu, Maria, como é que foi?
– Bem, Manoel, tu sabes… sair de baixo é muito mais difícil do que sair de cima

Pedindo uma Namorada
O jovem passa na frente da igreja e conta para o pastor:
– Pastor, eu estou procurando uma namorada e não consigo.
– Tenha calma, meu filho, que a vitória já é sua! – diz o pastor.
E o jovem responde:
– Poxa, não dá pra você arrumar outra não? A Vitória é bem feinha, né?

No metrô
Um dia, uma bonita moça me viu no metrô, e sem hesitar veio até a mim e disse:
– Te achei muito bonito. Gostei de você.
Eu, admirado, mas como sou um homem sério, coloquei a mão no ombro da moça e disse:
– Minha querida, esse sentimento é temporário. Você é muito jovem para se comportar assim. Por favor, vá para casa e estude muito para que você possa ter uma vida de sucesso.
Em seguida, escrevi algumas palavras num papel, coloquei ele na mão da moça e disse:
– Escrevi algumas palavras de sabedoria para você. Leia antes de dormir.
E a moça foi embora para casa chorando e se sentindo humilhada. Antes de dormir ela se lembrou de abrir o papel e leu os meus conselhos:
“A minha mulher estava atrás de mim. Seja como for, este é o número do meu celular. Me ligue a qualquer hora.”

Visita Surpresa da Sogra
A sogra foi visitar a filha e o genro. Quando ela chega na casa deles, o genro atende:
– Sogra querida, que surpresa!
– Por que a surpresa? Minha filha não disse que eu viria passar uns tempos aqui com vocês?
– Disse sim, mas eu achei que fosse só para curar o meu soluço

Velório em Tempos Modernos
Um rapaz chegou em um velório e a primeira coisa que perguntou foi:
– Qual é a senha do Wi-Fi?
Um parente incomodado disse:
– Respeite o morto!
– Escreve tudo junto?

Cortando o Cabelo
O cara chegou ao barbeiro, trazendo um garotinho pela mão:
– Dá um trato na minha juba aqui, ô do avental! – pediu ao barbeiro.
O barbeiro cortou seu cabelo e, em seguida o homem disse:
– Agora, vai cortando o cabelo do garoto que eu vou comprar um jornal e já volto.
O fígaro cortou o cabelo do garoto e ficou esperando o homem voltar. Após duas horas, o barbeiro comentou com o garoto:
– Acho que seu pai se perdeu! Faz duas horas que ele saiu e ainda não voltou…
– Ele não é meu pai não, moço! Eu estava no meio da rua quando aquele homem me parou e perguntou:
– Tá a fim de cortar o cabelo de graça?

Tradição de Família
O garotinho pergunta para a sua namoradinha:
– Quer se casar comigo?
E ela responde:
– Não posso… Na minha família a gente se casa entre nós mesmos. Meu avô se casou com a minha vó, meu tio se casou com a minha tia, meu pai se casou com a minha mãe…

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios *

*

*

Paste your AdWords Remarketing code here
%d blogueiros gostam disto: