Meus Textos e Crônicas

Crônica Para Uma Foto

Por Gil DePaula (Publicado originalmente em 08/12/2017) Hoje, ao rever fotos antigas de parentes que já se foram (não sei bem para onde) constatei o incontestável: um dia todos nós seremos apenas uma lembrança. Em um momento qualquer, seremos recordados por um pensamento fugaz, por algo que dissemos ou fizemos, por uma velha foto desbotada, ou modernamente, por um arquivo ...

Leia Mais »

Porque Jair Bolsonaro Foi Eleito Presidente do Brasil

Jair Messias Bolsonaro foi eleito presidente do Brasil neste domingo dia 28. Com 57,7 milhões de votos. Ele teve 55,13% dos votos válidos contra 44,87% de Fernando Haddad (PT), escolhido por 47 milhões de eleitores. Em 2014, Dilma Rousseff teve 54,5 milhões de votos e Aécio Neves (PSDB), 51 milhões — 51,64% contra 48,36%. O que possibilitou a eleição do ...

Leia Mais »

Racismo: Uma Dor Que Não Quer Calar

Por Gil DePaula (Texto originalmente publicado em 2017) Ao longo dos anos que venho escrevendo, seja para o jornal Guará Hoje, ou para o blog do Gil, sempre fui reticente sobre escrever a respeito do racismo que, veladamente ou explicitamente, infecta a sociedade brasileira e outras consideradas mais adiantadas que a nossa. Primeiro: por ser negro e não querer parecer ...

Leia Mais »

Sobre Haddad, Bolsonaro e a Falta Crônica de um Estadista

Por Gil DePaula A definição de um estadista incorpora alguns princípios fundamentais. Entre eles a capacidade de ser versado na arte de governar, e a habilidade em conduzir os negócios de um governo e moldar a sua política, exercendo liderança com sabedoria e sem imposições partidárias. Estadista é aquele governante que não trabalha apenas pelo sucesso eventual do seu governo, ...

Leia Mais »

Ideologia de Gênero: Deus Estava Errado

Por Gil DePaula A “ideologia de gênero” é uma expressão usada pelos críticos da ideia de que os gêneros são, na realidade, construções sociais. Para os defensores desta “ideologia”, não existe apenas o gênero “masculino” e “feminino”, mas um espectro que pode ser livremente escolhido pelo indivíduo. A chamada “ideologia de gênero” representaria o conceito que sustenta a identidade de ...

Leia Mais »

“Sobre Abrantes” – Um Conto do Livro “Complexo de Batman”

“SOBRE ABRANTES” O Deputado Adorava ir ao púlpito da Câmara Legislativa e discursar. Gostando, particularmente, de exaltar suas propostas, sua reputação ilibada, seus colegas, a importância que tinha aquela Casa para os brasilienses, porque nunca houvera deputados distritais tão empenhados em suas funções, tão honestos com a coisa pública, afirmava ele. E por aí se empolgava, proferindo discursos que invejariam ...

Leia Mais »

Lula: A Grande Metáfora Incompreendida da Política

Texto de Olavo de Carvalho O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva leva uma vida invejavelmente rica e apaixonante, mas num ponto ele tem razão de se queixar: é o homem mais incompreendido do Brasil. Nunca um personagem foi tão falado, comentado, analisado, louvado e achincalhado sem critério nem senso de observação, sem comparações objetivas nem conceitos descritivos apropriados. Cada ...

Leia Mais »

Eu, Eleitor e Perdido

Por Gil DePaula Confesso, que pela primeira vez, estou em dúvida em quem votarei para Presidente do Brasil. Tentarei explicar, abaixo, a partir do perfil dos principais candidatos, as razões que me levam a não estar decidido por nenhum deles. Marina Silva, uma das candidatas mais votadas em 2014, mostrou-se, ao longo dos últimos quatro anos, uma figura totalmente omissa ...

Leia Mais »

Pais e Filhos – Um Conto do Livro “Complexo de Batman” (baseado na música homônima de Renato Russo)

PAIS E FILHOS As paredes pintadas de cores diferentes, as duas dezenas de bonecas lembrando estátuas de louça. O edredom, os lençóis e as fronhas brancas bordadas em dourado com as letras JD, contrastavam com a imagem que melhor descreve a cena, quando olhada do alto da janela daquele quarto, no quinto andar, para baixo. No asfalto, jazia o corpo ...

Leia Mais »

O MORTO – Um Conto do Livro “COMPLEXO DE BATMAN”

O MORTO   Allan Mais uma vez acordava com o coração palpitante e o travesseiro encharcado de suor. O pesadelo com o morto insistia em atormentá-lo, e Allan tinha consciência que os malditos sonhos começaram, depois do jantar na casa do amigo Aristides, cujo pai falecera recentemente. Nas imagens oníricas, começava se banqueteando sozinho em um local escuro, sem paredes, ...

Leia Mais »
Paste your AdWords Remarketing code here