O Silêncio dos Inocentes

Por Gil DePaula

(Originalmente publicado em 14 de março de 2014)

A natureza proveu alguns animais com a capacidade de se regenerar, entre eles temos; a lagartixa, os crustáceos, a salamandra e até algumas espécies de ratos. Uns refazem membros, outros peles e alguns até mesmo, olhos. Note-se bem, nestas transmutações algo novo é criado, por isto se chama regeneração.

Ao homem foi negada a capacidade de regenerar partes do seu corpo, porém, foi lhe dada a capacidade de pensar, foi lhe dado sentimentos e a inteligência. Estes atributos lhe permite repensar atos e atitudes. Se alguém comete algum tipo de deslize, diante do erro, pode optar por não mais cometê-lo, afinal, como diria a máxima: errar é humano. Supondo que o erro seja de vulto e configure-se como crime, a pessoa sempre poderá regenerar o seu caráter, ou seja, modificar o seu proceder diante das outras e da sociedade. Por isto, é que se diz regenerado do delinquente que abandona o crime.

É louvável e bem vindo, que àquele que se regenera seja dada novas oportunidades. Entretanto, aos que insistem em trilhar caminhos pérfidos devem ser aplicadas as punições mais rigorosas possíveis.

Como em diversas outras eleições, na próxima, teremos políticos dignos, outros que não se conhece a índole e também aqueles que já se mostraram mau-caráter. Inclusive, alguns que vêm continuamente demonstrando a sua propensão natural para o mau-caratismo em suas diversas formas, tais como: desvio de dinheiro, recebimento de propinas, compra de votos, quebra do decoro, etc.

Parte inocente de nossa população tem o seu voto comprado constantemente. É o caso – por exemplo – daquela pessoa que recebe um lote, muitas vezes em condições execráveis e se vê na obrigação de votar nesse ou naquele, porque era quem governava, como se esse estivesse lhe fazendo algum favor. Outros, se esquecem do preceito bíblico que manda ensinar a pescar, e se contentam com os peixes que lhes são atirados em forma de bolsas disto e daquilo. Outros, comprometem sua honra por cargos ou funções no governo e no legislativo.

Muitos compactuam com os espertalhões por ingenuidade politica, por não conhecerem seus direitos. Estes são os inocentes que silenciosamente são conduzidos por políticos astutos e ladinos.

 Em 2014 (2018), infelizmente, não será diferente, retornarão políticos que já se mostraram adeptos das maiores patifarias. Esperemos nós, que desta vez retornem regenerados de caráter e alma, pois certamente voltarão, mas a esperança deve ser a última a morrer.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios *

*

*

Paste your AdWords Remarketing code here
%d blogueiros gostam disto: