Últimas do blog

Os Dez Primeiros Filmes Ganhadores do Oscar

ASAS (1929)

Jack Powell (Charles Rogers) e David Armstrong (Richard Arlen) são dois homens que vivem numa mesma cidadezinha americana e se tornam rivais quando passam a disputar o amor da mesma mulher, a bela Sylvia Lewis (Jobyna Ralston). O que Jack não sabia era que a inocente Mary Preston, uma moça para quem ele nunca deu muita atenção, está perdidamente apaixonada por ele. Os dois se alistam no serviço militar e se tornam aviadores durante a Primeira Guerra Mundial, tendo que combater os alemães na França. Disposta a ajudar Jack, Mary decide arriscar sua vida e sua carreira como enfermeira viajando para a Europa em busca de seu amado.

MELODIA NA BROADWAY (1930)


As irmãs e atrizes de vaudeville Hank e Queenie Mahoney chegam à Broadway, onde o amigo Eddie Kerns prepara a apresentação do show de Francis Zanfield. Eddie já conhecia Hank, por quem um dia foi apaixonado. Mas ele nunca tinha visto Queenie. E foi amor à primeira vista. Ocorre que ela está envolvida com um homem da alta sociedade de Nova York, Jock Warriner, e por isso resiste às investidas do rapaz. Até que Queenie perceba que é apenas um passa-tempo para o rico Jock, levará algum tempo para ela começar a se interessar por Eddie.

NADA DE NOVO NO FRONT (1931)


Um grupo de jovens alemães é convencido por um professor a se alistar no exército. Eles ficam muito entusiasmados com a ideia de lutar por seu país durante a Primeira Guerra Mundial, pois parece uma chance de viver novas experiências e provar para a sociedade o quanto são corajosos e patriotas. Paul (Lew Ayres) é um dos mais animados, porém, ao chegar no front o rapaz percebe que não há nada de honroso em matar seres humanos. Assim, a guerra transforma aqueles jovens idealistas em pessoas marcadas pelo horror.

CIMARRON (1932)


Estados Unidos, final do século 19. O jovem e idealista Yancy Cravat (Richard Dix) se muda com sua esposa Sabra (Irene Dunne) e seus filhos do estado do Kansas para o Território de Oklahoma, que na época ainda pertencia aos indígenas. Ele trabalha como editor de um jornal, além de ser um advogado e o que mais precisar, se tornando rapidamente uma das pessoas mais influentes da região. Entretanto, Yancy continua sua busca por novos horizontes e deixa sua esposa para viver uma nova aventura na Cherokee Strip. Enquanto isso, Sabra terá de aprender a se virar sozinha.

GRANDE HOTEL (1933)


Pessoas vêm. Pessoas vão. Nada nunca acontece. Isso é o que acredita o Dr. Otternschlag, anfitrião de um dos melhores hotéis de Berlim. Mas o aristocrata arruinado Baron Felix von Geigern, o balconista terminantemente doente Otto Kringelein, o cruel magnata Preysing, a belíssima e intrigante taquígrafa Flaemmchen e a linda e triste bailarina Grusinskaya chegam ao Grand Hotel para provar o contrário.

CAVALGADA (1934)


Do gênero drama, dirigido por Frank Lloyd. O roteiro, escrito por Reginald Berkeley e Sonya Levien, é baseado em peça de teatro de mesmo nome de Noël Coward, escrita em 1931. O filme foi indicado a quatro Oscars, tendo ganho em três categorias, Melhor Filme e Melhor Diretor, e Melhor Direção de Arte.

ACONTECEU NAQUELA NOITE (1935)


Ao entrar no ônibus que o levaria de volta a Nova York, o repórter Peter Warne (Clarke Gable) nem imagina que esta prosaica viagem poderia mudar o curso de sua vida, ou pelo menos devolver o emprego que acabara de perder. O “furo do ano” acabava de cair em seu colo, literalmente. A jovem Ellen Andrews (Claudette Colbert) embarcara com o objetivo de ir ao encontro de seu amado, um playboy com quem se casara contra a vontade de seu pai milionário, quando um solavanco do veículo a fez desequilibrar. É a partir desse encontro cômico que Frank Capra conduz Aconteceu Naquela Noite (It Happened One Night), exemplar típico das comédias sociais deste premiado diretor.

O GRANDE MOTIM (1936)


Em 1787 o navio Bounty, da marinha britânica, se prepara para ir ao Taiti, com o objetivo de trazer mudas da fruta-pão e levá-las para a Inglaterra. Se a viagem de ida foi um terror, devido a um capitão tirânico e mau caráter, o retorno foi o pior dos pesadelos, quando se dava mais importância às plantas do que as marinheiros. Esta situação acaba resultando em um motim, no qual o capitão e seus colaboradores são colocados em um barco enquanto os revoltosos retornam ao Taiti.

ZIEGFELD – O CRIADOR DE ESTRELAS (1937)


Ziegfeld não sabia que o melhor espetáculo que jamais produziria era sua própria vida. Florenz Ziegfeld Jr. foi um dos maiores empresários do showbusiness no começo do século 20. Fazendo e perdendo fortunas em piscar de olhos – ou apagar de luzes – Ziegfeld firmou-se no imaginário norte-americano como um dos mais notórios showmen de todos os tempos, uma verdadeira lenda da Broadway. Filmado apenas quatro anos depois de sua morte, ”Ziegfeld” narra uma história real com imagens dos verdadeiros espetáculos do produtor.

A VIDA DE EMILE ZOLA (1938)


A vida de Émile Zola é apresentada desde o início de sua carreira até os últimos dias. Um jovem pobre, mas que obteve sucesso depois da publicação de seu livro Nana. Durante a sua vida, Zola envolve-se no “Caso Dreyfus”, um militar que sofre repressões por ser judeu. Por meio da defesa do capitão Dreyfus, o escritor denuncia a corrupção que assola a sociedade, principalmente em relação ao terreno militar.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios *

*

*

Paste your AdWords Remarketing code here
%d blogueiros gostam disto: