Tag Archives: literatura

Alma Profana

Por Gil DePaula Não conhecerá mais sua boca A vergonha do beijo que lhe dei De apetite sensual espesso De amor pungente Lábios que sonhei inocentes Rubros de outros beijos Com permissão profanados Agora cerrados estão os meus Cingida estarás ao nó de outro abraço Da alma gêmea igualmente conspurcada Saboreará a volúpia desleal Tal qual profanaste, serás ultrajada Daí, ...

Leia Mais »

“Sobre Abrantes” – Um Conto do Livro “Complexo de Batman”

“SOBRE ABRANTES” O Deputado Adorava ir ao púlpito da Câmara Legislativa e discursar. Gostando, particularmente, de exaltar suas propostas, sua reputação ilibada, seus colegas, a importância que tinha aquela Casa para os brasilienses, porque nunca houvera deputados distritais tão empenhados em suas funções, tão honestos com a coisa pública, afirmava ele. E por aí se empolgava, proferindo discursos que invejariam ...

Leia Mais »

Madame Bovary – Uma Resenha do Grande Romance de Gustave Flaubert

Por Gil DePaula França – 1857 O livro “Madame Bovary” conta a história de Charles Bovary e sua esposa Emma. Charles é um medíocre estudante de medicina, que se torna um sofrível médico. Por interesse, casa-se pela primeira vez com a viúva de um oficial de diligências. Após a morte da primeira esposa e já apaixonado por Emma, casa-se com ela. ...

Leia Mais »

O Escravo – Uma História do Livro O Baú das Histórias Inusitadas

Primeiro foi o torpor que lhe invadiu, seguido da sensação de que o corpo se partia em mil pedaços. Em seguida, podia jurar pelos seus deuses africanos ou pelos santos dos brancos, que voara e voara, até que despencou ali. E ali, só podia ser um mau sonho. Morto não estava, pois sentiu a dor quando caiu em cima da ...

Leia Mais »

27 Dicas de Português Para Você Não Errar

  01- “Aceita-se” / “Aceitam-se” Errado: Aceita-se encomendas para festas. Certo: Aceitam-se encomendas para festas. Por quê? A presença da partícula apassivadora “se” exige que o verbo transitivo direto concorde com o sujeito. 02 – “Precisa-se” / “Precisam-se” Errado: Precisam-se de estagiários. Certo: Precisa-se de estagiários. Por quê? Nesse caso, a partícula “se” tem a função de tornar o sujeito ...

Leia Mais »

A Sociedade dos Pensadores Mortos

Por Gil DePaula Quando iniciei os meus estudos, por volta dos cinco anos de idade, recordo-me que além da exigência de aprender a tabuada nas aulas de matemática, os professores, nas aulas de português, contavam ou liam para os alunos as chamadas histórias infantis ou contos de fadas, que possuíam a função de despertar o imaginário infantil, bem como o ...

Leia Mais »

CORNUCÓPIA – UM CONTO DO LIVRO “COMPLEXO DE BATMAN”

CORNUCÓPIA   Era a terceira vez. Era a terceira vez, mas de alguma forma ainda doía. Da primeira bem me lembro. E como esquecer? Me casei aos vinte anos. E que merda! Quando você se casa aos vinte anos, aos quarenta fica se perguntando sobre as farras que deixou de fazer. Das viagens não desfrutadas com a turma. Das mulheres ...

Leia Mais »

VERMELHO 27 – UM CONTO DO LIVRO “COMPLEXO DE BATMAN”

VERMELHO 27   À sua passagem os cães ladraram fortemente, mas nem a insistência dos latidos perturbou aquele homem de uma esqualidez quase cadavérica que nem o terno surrado enfeitado por um arremedo de gravata conseguia esconder. A face sugada e macilenta era “emoldurada” por barbas e cabelos longos desgrenhados e sujos. Os sapatos tinham o direito aberto na frente ...

Leia Mais »
Paste your AdWords Remarketing code here