Últimas do blog

Tag Archives: poema

O Canto do Tempo

Por Gil DePaula Trespassa o sol à janela, e brada, brada: Acorda! Acorda! É hora de despertar Em meus raios há perfume que se espalha A rosa, o jasmim, a gardênia, o alisso-doce Radiantes, formosas damas-da-noite Primaveril setembro cada uma desabrocha A ti homenagear, ano que já deixou a mocidade Dourado foram seus dias, seu ocaso está aqui Já se ...

Leia Mais »

Alma Profana

Por Gil DePaula Não conhecerá mais sua boca A vergonha do beijo que lhe dei De apetite sensual espesso De amor pungente Lábios que sonhei inocentes Rubros de outros beijos Com permissão profanados Agora cerrados estão os meus Cingida estarás ao nó de outro abraço Da alma gêmea igualmente conspurcada Saboreará a volúpia desleal Tal qual profanaste, serás ultrajada Daí, ...

Leia Mais »
imagem de poema

Pintura Digital

Por Gil DePaula Esculpi você na mais perfeita tela digital Onde nada existia colei o que havia copiado Digitei bit a bit a imagem que idealizei Arquivei numa pasta, que nunca criamos Com nome de “promessa”, que nunca juramos Digitalizei sua imagem em teclados e solidão Prometíamos: Seremos felizes. Viveremos juntos para sempre. Mas o sempre pra sempre Quase sempre ...

Leia Mais »

O Menino de Sergipe

Por Gil DePaula Nascido em terras Sergipanas Do mar e do mangue se mandou Parando em terras Candangas Como pássaro que migrou . O cerrado do sonho profetizado Aos seus pais encantaram De malas, traias e cuias No planalto arribaram . De avião ou de pau-de-arara Uma vida nova se desenhava Com chuva, frio, poeira O que importava? . Cidade ...

Leia Mais »

O REFLEXO

Por Gil DePaula Surpreendentemente, um dia desses qualquer ao olhar no espelho, enxerguei um menino que há muito não via, e que me devolvia o olhar, com uma curiosidade muito maior do que a minha. Percebi que o jovem fixava-se em minhas rugas e em meus cabelos brancos, como a se perguntar como os adquiri, ou quando eles chegaram. A ...

Leia Mais »

Reminiscências da Alma

Por Gil DePaula Possuo um frasco guardado no tempo Onde colhi lágrimas de saudades e ilusões Gotas de amores desperdiçados Odores nunca esquecidos Essências contidas em minutos vividos Reverbera, qual nota repicada O primeiro olhar, o primeiro toque O beijo doce não osculado Idílico, jamais reclamado Meras reminiscências, acalanto da alma Espaço e tempo se curvam O passado conjuga-se no ...

Leia Mais »

Diferenças Entre Poesia, Poema e Soneto

  É muito comum, as pessoas confundirem o poema com a poesia, assim como desconhecerem as características de um soneto. Conhecer as diferenças é importante para que possamos apreciar melhor essa beça arte de se lidar com as palavras. Observe: Poesia: envolve um conceito mais amplo do que o poema e o soneto. Muitos creem, que a poesia é um ...

Leia Mais »

Suave é a Noite

Por Gil DePaula Com você suave é a noite Pois aqui a luz não existe Afora, uma tênue centelha que desce dos céus Por meio da tenebrosa manhã Os dias se sucedem, serpenteando horas Ponteiros que envelhecem sem tic-tacs A brisa da vida sopra; continua e incerta E memórias enterram-se no passado Crer, duvidar, o existir, o findar Conjecturas; ninhos ...

Leia Mais »
Paste your AdWords Remarketing code here